+ 8618917996096
Inglês
中文 简体 中文简体 en English ru Русский es Español pt Português tr Türkçe ar العربية de Deutsch pl Polski it Italiano fr Français ko 한국어 th ไทย vi Tiếng Việt
09 de Janeiro, 2012 3592 Visualizações

Termos e definições de teste de LEDs

1.LED
Além dos lasers semicondutores, quando a corrente motiva os diodos semicondutores podem emitir a radiação óptica. A rigor, o termo LED deve ser aplicado apenas para emitir o diodo visível; O diodo que pode emitir radiação próxima ao infravermelho é chamado de diodo emissor de luz infravermelha (IRED, Infrared Emitting Diode); O comprimento de onda do pico de emissão é limitado próximo às ondas curtas, o diodo que possui parte da radiação ultravioleta é chamado de diodo emissor de luz ultravioleta; No entanto, normalmente os três tipos acima de diodos semicondutores são chamados coletivamente de LEDs.

Eixo 2.Optical
Refere-se ao máximo Intensidade luminosa (ou intensidade da radiação) direção da linha central.

3.VF Voltagem de frente
Refere-se à queda de tensão entre os pólos quando a corrente positiva através dos leds é o valor fixo

4.IR Corrente inversa

Refere-se à corrente através do diodo emissor de luz quando a tensão reversa adicionada em ambas as extremidades do diodo emissor é o valor fixo.
5.VR Voltagem inversa
Refere-se à queda de tensão entre os pólos quando a corrente reversa através do dispositivo de LED em teste é o valor fixo.Capacitância de 6 C
Refere-se à capacitância em ambas as extremidades do LED, sob a regulação da polarização direta e da frequência.7 6. tempo de comutação
As classificações mínima e máxima envolvidas nos seguintes conceitos são 10% e 90%, a menos que indicado de outra forma.
7.1 td (ativado) Tempo de atraso de ativação
Refere-se ao intervalo de tempo entre a classificação mais baixa da varanda frontal do pulso de entrada e a classificação mais baixa da varanda frontal do pulso de saída.

7.2 tr Tempo de subida

Refere-se ao intervalo de tempo entre a classificação mais baixa e a classificação mais alta da varanda frontal do pulso de saída.

7.3 ton Hora de ligar

Refere-se ao intervalo de tempo adicionado no dispositivo entre a classificação mais baixa da varanda frontal do pulso de entrada e a classificação mais alta da varanda frontal do pulso de saída.
ton = td (on) + tr
7.4 td (desativado) Tempo de atraso de desligamento

Refere-se ao intervalo de tempo adicionado no dispositivo entre a classificação mais alta da varanda de entrada de pulso de entrada e a classificação mais alta da varanda de entrada de pulso de saída.

7.5 tf Tempo de outono

Refere-se ao intervalo de tempo entre a classificação mais alta e a classificação mais baixa da varanda de trás do pulso de saída.

Refere-se ao intervalo de tempo adicionado no dispositivo entre a classificação mais baixa da varanda de entrada de pulso de entrada e a classificação mais baixa da varanda de entrada de pulso de saída.
toff = td (desativado) + tf

8.Φv Fluxo luminoso
Refere-se ao fluxo luminoso emitida a partir da janela óptica do dispositivo quando a corrente direta através do diodo emissor de luz é o valor fixo.
9.Φe Potência radiante
Refere-se à potência radiante emitida pela janela óptica do dispositivo quando a corrente direta através do diodo emissor de luz é o valor fixo.
10.ηe Eficiência de energia radiante
Refere-se à razão entre a energia radiante emitida pelo dispositivo e a energia elétrica do dispositivo (a corrente positiva IF multiplica a voltagem direta VF):
ηe = Φe/(EUF• VF)
Nota: Para evitar ser confundido com outros termos, pode ser chamado de eficiência da radiação (eficiência radiante).
11.ηv Eficiência de fluxo luminoso
Refere-se à razão do fluxo luminoso Φv emitida pelo dispositivo e a energia elétrica do dispositivo (a corrente positiva SE multiplica a tensão direta VF):
ηv = Φv/(EUF• VF)
Nota: Para evitar ser confundido com outros termos, pode ser chamado de eficiência luminosa.
12. Diagrama de distribuição espacial luminoso (ou radiante) e propriedades relacionadas

12.1 Iv Intensidade luminosa Rad ou radiante)
O fluxo luminoso (ou radiante) emitido pela fonte de luz dentro do ângulo sólido por unidade pode ser expresso como Iv = d Φ / d Ω. O conceito de intensidade luminosa (ou radiante) requer que a fonte de radiação seja considerada uma fonte pontual de radiação, ou seu tamanho e área do detector de luz sejam pequenos o suficiente em comparação com a distância entre ela e o detector de luz; nesse caso, a luminosa ( ou radiante) na superfície do detector de luz segue o teorema do quadrado da distância inversa: o E = I / d2. Aqui estou a intensidade das fontes de radiação, d é a distância do centro de radiação ao centro do detector. Essa situação é chamada de condições do campo distante. No entanto, em muitas aplicações, a distância de medição do LED é relativamente curta, o tamanho relativo da fonte é muito grande ou o ângulo da superfície do detector é muito grande, são as chamadas condições de campo próximo (A Near-field Goniospectroradiômetro para medições de LED). Neste momento, a iluminação luminosa (radiante) depende das condições de medição corretas.
12.2 Intensidade média do LED
A proporção do fluxo Φ irradiado no fotodetector a partir de uma certa distância com LED e o ângulo sólido Ω formado pelo detector. O ângulo sólido pode ser calculado usando a proporção S do detector para dividir o quadrado da distância de medição.
I = Φ / Ω = Φ / (S / d2)
As condições padrão A e B recomendadas pela CIE são usadas para medir a intensidade média do LED nas condições de campo próximo, podendo ser expressas respectivamente com os símbolos ILED Ae euLED B. Use símbolos ILED Ae e euLED Av para representar respectivamente as condições padrão A, a intensidade média de medição da radiação do LED e a intensidade média do LED.
12.3 Diagrama luminoso Rad ou radiante)
Refletindo as características de distribuição espacial da força emissora de luz (ou radiação) do dispositivo:

Iv(ou eue) = f (θ)

Nota 1: salvo disposição em contrário, a distribuição da intensidade da emissão de luz (ou radiação) deve ser incluída no plano do eixo mecânico Z.
Nota 2: se o padrão de distribuição da intensidade da emissão de luz (ou radiação) possuir as características de simetria de rotação em relação ao eixo Z, a distribuição espacial da intensidade da emissão de luz (ou radiação) fornecerá apenas um plano.
Nota 3: se não houver características de simetria de rotação em relação ao eixo Z, a distribuição da intensidade da emissão de luz (ou radiação) de todos os tipos de ângulo θ deve ter requisitos, a direção X, Y, Z possui os requisitos de especificação detalhados e definidos .

12.4 θ1/2 Ângulo de meia intensidade
No padrão de distribuição da intensidade da emissão de luz (ou radiação), o ângulo é formado quando a intensidade da emissão de luz (ou radiação) é maior que a metade do grau máximo de intensidade.

12.5 Δθ Ângulo de desalinhamento
No padrão de distribuição de intensidade de emissão de luz (ou radiação), o ângulo entre a intensidade máxima de intensidade de emissão de luz (ou radiação) (eixo óptico) e o eixo mecânico Z.

13.Característica espectral

13.1 Comprimento de onda de pico de emissão λp
O maior comprimento de onda da potência radiante espectral

13.2 Banda de radiação espectral com λλ
A potência radiante espectral é igual ou superior a metade do intervalo máximo do comprimento de onda.

13.3 Distribuição espectral de potência P (λ)
Na faixa dos comprimentos de onda da radiação de raios, a distribuição de energia de radiação de cada comprimento de onda.

Método de Teste de LEDs: Os Métodos de Teste de Características Elétricas

Método de Teste de LEDs: Características de Luz

Método de Teste de LEDs: Fluxo Luminoso e Eficiência Luminosa

Método de Teste de LEDs: Fluxo de Radiação e Eficiência de Radiação

Método de teste de LEDs: Comprimento de onda de pico de emissão, largura de banda de radiação espectral e distribuição de energia no espectro


Método de teste de LEDs: Método de teste de características fotoelétricas - tempo de comutação

Deixe sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *